Search:

Ações: controle seus custos e saiba quanto está ganhando em suas operações

Categoria: Renda Variável

As corretoras e plataformas abertas de investimentos têm lançado promoções nas tarifas cobradas nas operações na Bolsa. Você já deve ter recebido mensagens por e-mail ou ter visto anúncios nas redes sociais, no Google e nos sites das próprias instituições como: “Corretora X reduz suas taxas de corretagem para compra e venda de ações”, “Temos as menores taxas”, “Plataforma Y isenta taxa de corretagem para investir em ações” e “Aqui na Z, a taxa de corretagem é zero”.De fato, o cenário hoje é mais positivo do que há alguns anos, pois, diversas vantagens são oferecidas no mercado com o intuito de trazer cada vez mais investidores para operar com ações, índices, dólar e derivativos. Hoje, já existem 740,6 mil cadastros de pessoas físicas na Bolsa - o recorde histórico foi batido este ano, sendo que no final de 2017, eram 619,6 mil. Para se ter uma ideia da evolução, há 10 anos, o número de investidores pessoas físicas era 530 mil e 12 anos atrás, somente 219 mil.

Recentemente, diante do crescimento rápido do mercado, temos visto que muitos investidores ainda têm dúvidas sobre quais são os custos totais para se operar no mercado e como eles impactam a rentabilidade de seus investimentos, portanto, neste post, vamos esclarecer como fazer este controle.

Os Custos

As corretoras fazem a intermediação da compra e venda de ações e, justamente por esse serviço é que cobram taxa de corretagem. Porém, existem diversos modelos no mercado.

Algumas instituições cobram percentuais sobre a compra ou a venda de cada ação, outras têm tabelas com percentuais sobre faixas de volumes financeiros negociados. Há também corretoras que estipulam taxas fixas em reais a partir de valores mínimos de transações. Em uma mesma instituição podem existir fórmulas diferentes de taxas de corretagem para quem opera pelo Home Broker, sistema com interface direta com a Bolsa, ou para quem dá ordens de compra e venda dos papéis em canais de atendimento dos agentes das mesas de operações.

Hoje, vemos também que algumas plataformas têm zerado as taxas de corretagem para atrair um número maior de investidores ao segmento de renda variável.

Já a taxa de custódia é cobrada pela Câmara de Ações e Renda Fixa Privada, responsável pela segurança das operações, pois as ações dos clientes das corretoras ficam em custódia desta terceira parte.

A Câmara de Ações e Renda Fixa Privada, depositária central de ativos, é gerenciada pela B3 e funciona sob supervisão da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Antes da fusão da BM&FBovespa com a Cetip, era chamada de CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia). A taxa de custódia é referente à manutenção de uma conta e os valores variam de R$ 7,30 a R$ 8,88 por mês. Além disso, os investidores que possuem mais de R$ 300 mil em ações também pagam um percentual sobre o valor em custódia por ano. As tabelas de tarifas de custódia podem ser consultadas no site da B3.

Outros custos que os investidores precisam ficar atentos são os emolumentos da B3, taxas de negociação e liquidação, que são cobradas com base em percentuais sobre o valor financeiro das operações. Para quem faz muitas operações de curtíssimo prazo e Day Trade, há faixas de emolumentos decrescentes por volume financeiro.

Controle de custos é essencial: você sabe o real impacto das taxas na rentabilidade da sua carteira?

É sempre importante procurar reduzir custos e, para tal, é preciso controlá-los. Os custos envolvendo as operações de compra e venda ações ou de quaisquer outros ativos impactam na rentabilidade dos investimentos realizados e diminuem o seu retorno. E quanto mais um investidor opera, maior será o impacto destes custos.

É muito comum vermos investidores utilizando uma planilha de Excel para lançarem suas operações em Bolsa para calcular sua rentabilidade e ganhos. Também notamos que alguns lançam os valores brutos das suas operações, desconsiderando os custos.

Como já comentamos em outro post os sistemas das corretoras e bancos oferecem extratos somente informando as posições das ações e não com o histórico de negociações e cálculos de rentabilidade histórica. Por isso, ao investir em ações é importante contar com um sistema que você possa fazer este controle de forma fácil.

Sempre que o investidor opera, recebe uma nota de corretagem. Através dela, lança normalmente em uma planilha eletrônica, as operações realizadas naquele dia. O caminho mais apropriado para fazer isso é lançar os valores brutos e, em seguida, as taxas cobradas para encontrar os valores líquidos das operações de compra e venda de ações – livres dos custos. Assim, os custos são monitorados separadamente e considerados no cálculo da rentabilidade de uma carteira.

Para quem possui contas em mais de uma corretora, lembrando que essas instituições cobram diferentes taxas de corretagem, e também para aqueles investidores que realizam muitas operações, a complexidade aumenta. Nestes casos, o trabalho é muito maior para fazer esse acompanhamento, sendo necessário gastar bastante tempo na digitação de dados, nos cálculos da rentabilidade da carteira e na apuração de ganhos ou perdas, com o risco de ainda errar nesse processo manual.  

A transformação digital facilita a rotina dos investidores e também dos profissionais do setor. O smartAdvisor, sistema de consolidação de extratos de investimentos, possibilita o controle total dos custos operacionais dos investimentos em ações – taxas de corretagem, custódia e emolumentos, considerando os valores líquidos das operações e executando o cálculo preciso dos ganhos e da rentabilidade da carteira de ações.

No smartAdvisor, tudo é feito de forma automática e se o investidor receber as notas de corretagem em arquivos txt, xml ou outro terá a facilidade de não precisar digitar os dados.

Com um sistema, tudo fica mais simples. Controlar os custos, ver seu impacto na rentabilidade de uma operação, analisar o conjunto de operações, analisar somente um período, enfim uma série de controles que permitem que investidor saiba exatamente quanto está gastando com as taxas cobradas e quanto está ganhando com suas operações de compra e venda de ações.

É importante lembrar também que, com o uso de um sistema como o smartAdvisor, o investidor ainda terá a conveniência de acessar os dados a qualquer hora, de qualquer device - computador, notebook, tablet ou smartphone, e de qualquer lugar do mundo.

Ao investir em ações, analise bem as empresas, conte com um consultor de investimentos para te ajudar e controle seus investimentos de forma eficiente!

Continue acompanhando o blog da SmartBrain!

Cassio Bariani CFP®

Presidente

Conheça mais sobre nossa plataforma

Simule e salve suas carteiras de investimento para ter maior controle sobre eles.

Fale conosco