Hudson Bessa

Mais de Hudson Bessa

por Hudson Bessa
em 06 Novembro 2018

Quais são os critérios para escolher o profissional que te ajudará nas melhores decisões de investimentos e na gestão do seu patrimônio?


Sabemos que é preciso ter muito critério na hora de comprar qualquer produto ou de contratar serviços, selecionando as melhores opções entre as tantas que são oferecidas no mercado. Pesquisar é essencial para evitar problemas no futuro. Ao procurar um profissional do mercado financeiro, isso não é diferente: seja um consultor ou agente autônomo de investimentos.

Pensando justamente nisso, a SmartBrain separou as prioridades e principais pontos que você, investidor, deve levar em consideração antes de contratar os profissionais que irão te assessorar e te aconselhar nas suas aplicações. Com o apoio destes especialistas e estratégias corretas, certamente será mais fácil fazer o seu patrimônio financeiro crescer de acordo com seus objetivos.

Antes, porém, de se preocupar com os pontos cruciais da contratação, é necessário voltar um passo: você sabe exatamente quem são e quais as funções específicas de um consultor e de um agente autônomo de investimentos?  

Se sim, siga direto para as prioridades, se não, os dois próximos parágrafos são para você:

Um consultor financeiro é o profissional que irá realizar um diagnóstico sobre os seus investimentos, analisar seu perfil de investidor e seus objetivos. Ele vai direcioná-lo e orientá-lo para uma composição de investimentos mais adequada. Após avaliar detalhadamente suas necessidades, o consultor irá sugerir uma carteira ou propor mudanças no conjunto dos seus investimentos atuais, trocando aqueles que não estejam adequados ao seu perfil de risco e seus objetivos de retorno a curto, médio e longo prazo para opções que façam mais sentido e com os riscos que você concorda em correr para alcançar suas metas. Com isso, ele poderá gerar mais equilíbrio à sua carteira de ativos e conseguir melhorar a rentabilidade.

Já o agente autônomo de investimentos é o profissional responsável em implementar suas aplicações. Este especialista está sempre ligado à uma corretora e é responsável por vender produtos financeiros e executar as ordens de investimentos para você.

Ambos os profissionais devem ser gabaritados e multidisciplinares, pois precisam ter conhecimento considerável sobre finanças, legislação, tributação e principalmente, uma visão aguçada sobre tudo o que impacta diretamente no rendimento, liquidez e riscos dos variados tipos de investimentos existentes.


Confira tudo o que você precisa saber antes de contratar um profissional de investimentos:

Cadastro e certificação profissional do consultor e agente autônomo:

Hoje, no Brasil, o órgão regulamentador destes profissionais que podem ser enquadrados como assessores - consultor ou agente autônomo de investimentos, é a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Portanto, como rege o protocolo da entidade, estes especialistas devem estar devidamente habilitados e registrados para exercerem suas funções.

No caso dos agentes autônomos, é exigido o certificado da Ancord (Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias), entidade credenciadora desta categoria, segundo a determinação da própria CVM.

Ética e conduta profissional de um consultor ou agente autônomo:

Discorrer sobre ética pode parecer redundância, mas escolher um profissional que demonstre uma ética sólida pode evitar muitos problemas como a falta de visibilidade de como seus recursos estão sendo aplicados; a falta de informação que deixa o investidor no escuro quanto à  rentabilidade e aos riscos dos ativos e, até mesmo, problemas legais que o consultor ou agente autônomo podem enfrentar, como um processo por informação privilegiada e que pode afetar você, entre outros. Portanto, conduta ética e transparência são requisitos fundamentais para se criar uma relação de confiança entre profissional e investidor.

Investimentos vs Emoções na hora de desenhar estratégias de investimento:

Consultores e agentes autônomos de investimento devem ser pragmáticos e saber analisar situações sem o calor das emoções do mercado. Portanto, esses profissionais deve estar preparados também para lidar com os fatores emocionais de cada  investidor, sua tolerância a riscos e perdas e saber como aconselhá-lo da melhor maneira possível, sempre visando atingir o melhor equilíbrio entre risco e retorno para a sua carteira e seu patrimônio, o que inclui ativos financeiros e imobiliários.

Métodos de compensação e honorários dos profissionais de investimentos:

Por serem profissões relativamente novas no mercado, os métodos de remuneração dos consultores e agentes autônomos variam bastante, por isso, é bom você se familiarizar com as seguintes práticas que, até agora, são as mais comuns:

  • Comissão ou rebate: nesse modelo de compensação, o agente autônomo de investimento recebe uma parcela da receita obtida pela corretora ou instituição financeira sobre os produtos que são vendidos. Essa forma de compensação é a mais comum e tem sido bem aceita pelo investidor, pois ele utiliza uma parcela do rendimento do título adquirido para pagar o profissional e a instituição que venderam aquele tipo de investimento.  Vale ressaltar que pesquisas indicam que os clientes demandam transparência em relação a esta cobrança, pois consideram importante para criar confiança com o profissional.
  • Fee de consultoria: em contrapartida, o consultor de investimento, que legalmente está impedido de receber rebate de qualquer instituição financeira, tem como principal forma de compensação a cobrança de um valor (fee) mensal ou anual com base no valor do patrimônio ou do escopo dos serviços prestados. Essa forma de cobrança é relativamente nova no Brasil e busca evitar principalmente o chamado conflito de interesse, pois o consultor está livre para recomendar variados tipos de aplicações independente dos rebates que viessem a lhe pagar as corretoras de investimentos.

Por fim, os pontos mais importantes:


Transparência é a principal característica que um profissional, seja ele consultor ou agente autônomo de investimentos deve ter, sendo que, hoje, os softwares de gestão e consolidação de dados são importantes aliados nesse quesito:

Como job description do profissional que irá assessorar e aconselhar os investimentos, colher dados e traduzir a rentabilidade, riscos, liquidez, variação e projeção dos investimentos são pontos que irão ajudar o investidor a entender como seus recursos estão sendo aplicados e, mais, se eles estão sendo bem aplicados ou não. Por este motivo, agentes autônomos e consultores, cada um conforme sua atividade, deve ter ao seu dispor sistemas e infraestrutura robustos para que possam prestar serviços da melhor forma para você. Agilidade, precisão, flexibilidade e outros quesitos para distinguir o nível de atendimento e podem impactar nos resultados.

Além disso, profissionais que contam com a inteligência fornecida pela tecnologia, eliminam a parte cansativa e penosa do trabalho, que é coletar os dados dos investimentos e dos diversos índices financeiros, para focar na análise das carteiras e nos resultados advindos das alocações realizadas como rentabilidade, volatilidade, liquidez e riscos.

O que não esperar do seu consultor de investimentos:

É importante ressaltar que um consultor ou agente autônomo de investimentos não têm controle sobre os seus investimentos. Eles servem como assessores que indicam o melhor caminho ou produtos a investir e por quais motivos um investimento é ou não melhor que outro. Assim como um médico que indica um tratamento ou uma cirurgia, deixando a decisão para o paciente; no campo dos investimentos, a decisão do caminho que a se tomar é sempre exclusiva do investidor. Sob esse aspecto, analise se o profissional que deseja contratar, além de ser preparado e competente, sabe ouvir as suas considerações e se é capaz de fornecer todas as informações para que você consiga tomar decisões conscientes, afinal, o dinheiro é seu - e os ganhos ou perdas também serão seus! Tenha um profissional que te ajude com os seus investimentos de forma responsável.

por Hudson Bessa
em 09 Agosto 2018

O sucesso das empresas está ligado à eficiência das suas estratégias de negócios, mas também a valores importantíssimos como ética e transparência. No setor de investimentos não é diferente.

por Hudson Bessa
em 08 Fevereiro 2018

A maioria das pessoas não sabe a diferença entre esses dois profissionais que prestam assessoria na área de investimentos e ainda vigora muita confusão entre clientes investidores. Mas vamos esclarecer os papéis de cada um.

por Hudson Bessa
em 19 Dezembro 2017

Recentemente, a CVM publicou a Instrução 592, que regulamenta a atividade de consultoria de valores mobiliários.