Cassio Bariani CFP®
por Cassio Bariani CFP® em 07 Junho 2018

Sobe e desce na Bolsa: liquidez é risco?

Em tempos de turbulência no mercado financeiro, é preciso lidar com o sobe e desce dos ativos financeiros. Em maio de 2018, houve paralisação dos caminhoneiros e uma enorme crise de abastecimento causando efeitos negativos na economia.

Nestes momentos, investidores precisam manter o “sangue frio”, fazer análises baseadas em dados consistentes para tomar as melhores decisões.

Um item importante em um investimento é a liquidez, ainda mais quando a volatilidade aumenta e você quer fazer alterações em seu portfólio. Você já parou para analisar isso? E quando parou, fez os cálculos corretos?

A análise da liquidez é muito importante na hora de investir, podendo até ser considerada como uma medida de avaliação de risco.

Para facilitar, vamos imaginar uma carteira de ações com cinco ações divididas desproporcionalmente, ou seja, uma ação representa 40% do portfólio, outra 25%, outra 15% e duas outras 10%. Agora, vamos supor que um investidor tenha R$ 3 milhões divididos nesta composição e queira vendê-los em momento de alta volatilidade para comprar outros papéis que caíram muito.

As ações de alta liquidez como as da Petrobras são muito fáceis de serem negociadas, pois chegam a ter volume diário de até 2 bilhões de reais por dia, porém outras não chegam nem a R$ 100 mil diários e, portanto, na hora de comprar ou vender torna-se mais demorado.

No exemplo citado acima, vamos considerar que o investidor tenha em seu portfólio de R$ 3 milhões uma ação que possui volume médio diário de negociação na bolsa de apenas R$ 500 mil. Supondo que o investidor tenha R$ 750 mil nesta ação e consiga vender em torno de R$ 100 mil por dia ou 20% do volume diário negociado, levará cerca de 7,5 dias úteis para sair completamente desta posição.

Portanto, dependendo da composição das ações de alta e baixa liquidez em uma carteira o investidor poderá levar minutos ou até semanas para transformá-la em dinheiro ou para mudar de posição. 

Como fazer análises em momentos de turbulência no mercado

Como vimos, observar a liquidez é extremamente importante nos investimentos e pode-se considerá-la até como uma métrica de risco porque, dependendo do tempo que se leva para fazer as movimentações, pode significar maior ou menor volatilidade.

Para fazer esse cálculo correto e de forma mais técnica é interessante que o investidor tenha o suporte de um assessor de investimentos especializado. Esse profissional vai calcular, com o uso de ferramentas apropriadas para isso, o nível de liquidez de cada um dos papéis e irá verificar o tempo médio necessário para liquidar toda a posição – o duration da carteira, no jargão do mercado. Com isso, é possível saber se a carteira está realmente de acordo com uma estratégia de alta ou baixa liquidez e prever de forma mais adequada as movimentações no mercado. Em linhas gerais, a liquidez pode ser um item determinante em uma estratégia de investimento. 

Além do exemplo acima, a análise da liquidez deve vir sempre combinada com o estudo de fundamentos das companhias. Em períodos de alta volatilidade, o suporte de um profissional especializado é fundamental, pois as ações que possuem elevada liquidez tornam-se também a porta de entrada e saída de grandes investidores institucionais e estrangeiros que querem fazer movimentações rápidas, o que aumenta ainda mais sua volatilidade, sem base fundamental ou técnica da empresa, apenas como veículo de liquidez.

Por isso, faça a avaliação da liquidez da sua carteira investimentos, seja ela de ações ou de outros ativos. Também verifique a consistência da sua estratégia para evitar movimentos intempestivos ou impensados.

Postado por Cassio Bariani CFP® Junho 7, 2018
Cassio Bariani CFP®