Henrique Garcia
por Henrique Garcia em 28 Janeiro 2021

Você analisa a relação Risco/Retorno dos seus investimentos?

Qual é o risco que você está tomando para ter o resultado da sua carteira?

A análise da relação Risco/Retorno dos investimentos é mais um parâmetro essencial que todo investidor deve levar em consideração para tomar boas decisões e controlar sua alocação - que é a distribuição do dinheiro entre vários ativos financeiros.

Isso soa como algo óbvio, mas temos visto que no dia a dia, muita gente não faz esse tipo de análise nem a gestão como deveria. 

Um dos problemas é a dificuldade para reunir todas as informações sobre as aplicações feitas em vários bancos ou corretoras. Além disso, é complexo fazer esses cálculos com assertividade. 

Isso pode ser resolvido com um consolidador de investimentos, que acompanha a evolução da carteira ao longo do tempo e calcula automaticamente o Risco/Retorno de forma correta. E a grande vantagem é poder acessar essas informações no momento que quiser. 

 

A importância da análise Risco/Retorno

Um dos princípios dos investimentos é que para ganhar mais é preciso correr mais riscos. Mas isso não significa ter uma concentração na carteira em ativos bastante arriscados. 

A diversificação significa a otimização da carteira, aproveitando as oportunidades de ganhos com variados tipos de ativos financeiros pouco correlacionados – com diferentes tipos e níveis de riscos. Assim, quando o desempenho de uma aplicação for negativo, os outros ativos podem compensar e, na média, se tem mais estabilidade no conjunto dos investimentos. Portanto, a diversificação diminui o risco geral do portfólio. 

 

Fazer a análise Risco/Retorno das suas estratégias e da sua carteira te dá uma visão mais ampla

Por exemplo, se dois ativos têm gerado rentabilidades similares ao longo do tempo, sendo que um é muito arriscado e o outro pouco arriscado, talvez faça sentido vender o de maior risco e comprar mais o menos volátil. Logicamente, o ideal é buscar ganhar mais, incorrendo o menor nível de risco possível.

Por sua vez, o risco da sua carteira deve ser confortável para você - não deve te tirar o sono, causar receio ou ansiedade.

 

Risco/Retorno no consolidador de investimentos

No Advisor, você tem as seguintes informações:

Análise de risco/retorno de uma carteira de investimentos no Advisor

Aqui, a carteira do investidor teve uma rentabilidade de 25,8% em 12 meses. E a volatilidade (risco) no mesmo período foi de 23,2%, uma medida que indica o quanto se afastou da média no período – para acima e para baixo. 

Para ficar mais claro, para alcançar esse retorno de 25,8%, em algum momento, o investidor viu seu portfólio cair 23,2%.

 

Visualização por estratégias

No consolidador, também é possível fazer análises por estratégias.  E nessa carteira do nosso exemplo, a parcela de ações tem a seguinte relação Risco/Retorno:

Análise de risco/retorno de uma carteira de investimentos no Advisor

Em 12 meses, a rentabilidade da estratégia de ações foi de 57%, sendo que a volatilidade ou oscilação em torno da média das cotações foi de 58,8%. Portanto, a fatia mais arriscada do portfólio. 

Em algum momento, o investidor enfrentou uma queda acentuada de 58,8% nessa parcela da sua carteira.

 

Renda fixa

Análise de risco/retorno de uma carteira de investimentos no Advisor

O risco da estratégia de renda fixa foi baixíssimo em 12 meses – uma volatilidade de apenas 0,2%, mas com um desempenho também muito baixo, de 2%. 

 

Multimercados

Análise de risco/retorno de uma carteira de investimentos no Advisor

Neste exemplo, o retorno do investidor foi de 10,5% em 12 meses, e essa parcela da carteira oscilou em relação à média 6,4%. Considerando isso, poderia ser vantajoso aumentar os investimentos em multimercados e reduzir o de renda fixa com o intuito de ganhar mais. 

No consolidador, também é possível ver a volatilidade da carteira em várias janelas de tempo:

 

Análise de volatilidade de uma carteira de investimentos no Advisor

 

Análise completa

Depois de avaliar a relação Risco/Retorno da carteira e das estratégias, é preciso consultar no consolidador as contribuições de cada ativo - ações, fundos de Investimento, títulos de renda fixa etc., nos resultados. 

Também é importante contar com o suporte de um assessor de investimentos para compreender melhor os cenários econômico e político, as características desses ativos e seus movimentos no mercado, incluindo as táticas que são adotadas pelos gestores de fundos. 

Estas análises ajudam nas decisões sobre movimentações – aplicações e resgates, e em uma melhor alocação da carteira, adequada ao grau de tolerância ao risco. 

 

 

Você analisa a relação Risco/Retorno dos seus investimentos?

 

Postado por Henrique Garcia Janeiro 28, 2021
Henrique Garcia