A área de investimentos está em transformação no Brasil. Antes muito restritos aos produtos dos bancos tradicionais onde possuem suas contas correntes, os investidores vêm ganhando mais alternativas nas corretoras e plataformas abertas de investimentos.

Além de terem as prateleiras com grande variedade de ativos financeiros, fazendo a intermediação de produtos de terceiros, essas instituições passaram a disseminar muita informação em sites, blogs, vídeos e webinars com especialistas e analistas.

Essas instituições vêm apostando em grandes times de agentes autônomos e consultores de investimentos que têm papel relevante no suporte aos investidores, no esclarecimento sobre ativos e produtos financeiros. Os bancos reagiram ampliando a gama de produtos e também passaram a investir fortemente em canais de comunicação abertos aos investidores e potenciais investidores. Além disso, surgiram no país bancos 100% digitais com novas propostas de serviços e maior gama de produtos de investimentos.

Hoje, 42% dos brasileiros têm algum saldo aplicado em produtos de investimento, segundo a pesquisa Raio X do Investidor Brasileiro feita pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). Entre os investimentos realizados, por ordem, aparecem, poupança, previdência privada, fundos de investimentos, títulos privados e ações e títulos públicos.

Mesmo com todos desafios no cenário político e econômico brasileiro. Atualmente, já há 740,6 mil cadastros de pessoas físicas na Bolsa - o recorde histórico, sendo que no final de 2017, eram 619,6 mil. Para se ter uma ideia da evolução, há 10 anos, o número de investidores pessoas físicas era 530 mil e 12 anos atrás, somente 219 mil.

A indústria de fundos de investimentos continua crescendo. E se há oferta é porque existe demanda – essa é a lei de mercado. De acordo com dados da Anbima, existem mais de 16,8 mil fundos, totalizando patrimônio líquido (PL) de R$ 4,6 trilhões. No final de 2016, eram 14,8 mil fundos, com PL de R$ 3,4 trilhões. Um grande avanço em apenas dois anos, ressaltando que em um período turbulento.

Hoje, a preocupação com a aposentadoria, em função da reforma da Previdência Social, e a taxa Selic em patamar histórico mais baixo impulsionam ainda mais o setor de investimentos. Agora é preciso conhecer melhor os produtos existentes e a relação de risco/retorno de cada para aumentar a rentabilidade, enfim, fazer o dinheiro trabalhar e contar com estratégias eficientes.

Os investidores tendem a buscar as melhores oportunidades em bancos, corretoras e plataformas, naturalmente, mantendo contas em mais de uma instituição.

Múltiplas contas – uma solução

Segundo dados da SmartBrain, que oferece soluções para investidores e profissionais da área de investimentos, clientes de alta renda e private possuem em média 14 ativos diferentes espalhados em mais de cinco instituições financeiras.

Entre os produtos da fintech destaca-se o smartAdvisor, sistema que agrega os extratos de diversas corretoras e bancos em um único lugar o que facilita a visualização e o controle total dos investimentos.

Os extratos consolidados de aplicações financeiras trazem inúmeras vantagens para investidores e profissionais do setor como consultores, agentes autônomos de investimentos, planejadores financeiros e gestores de patrimônio. Esta tecnologia inovadora amplia o poder de análise das carteiras de investimentos, pois possibilita o acompanhamento da rentabilidade online.

Um aspecto que não podemos deixar de destacar é a precisão dos cálculos e a mitigação de erros que o sistema oferece. A acuracidade dos dados e dos cálculos é fundamental para se ter a visão da real performance do conjunto/carteira de investimentos e é também a base para profissionais prestarem assessoria de investimentos de alta qualidade e de uma relação transparente com seus clientes.

Análise da carteira em detalhes

Ter uma visão macro do desempenho da carteira de investimentos, englobando aplicações em diversas instituições financeiras, é importante. Mas um sistema robusto vai muito além. O smartAdvisor oferece diversas funcionalidades e a possibilidade de geração de diversos tipos de relatórios, gráficos e dashboards.

Assim, a carteira de investimentos pode ser analisada de forma bastante detalhada, de diversas formas e segmentações:

Análise por instituição financeira:

No sistema, é possível ver como os investimentos estão distribuídos entre os diversos bancos e corretoras. Isso é fundamental para checar quais as instituições que têm as melhores performances para determinados produtos.

Outra vantagem é checar se há redundâncias ou alta correlação entre  investimentos, por exemplo, fundos muito parecidos cujas cotas foram adquiridas em bancos diferentes. Quando há muitos investimentos semelhantes que seguem a mesma tendência de preços no mercado, isso significa que a estratégia de diversificação pode estar sendo ineficiente e que precisa ser ajustada. Em um caso como este, é possível fazer uma avaliação comparativa de custos entre os produtos para escolher aquele que seja mais vantajoso.

Outra avaliação de risco possível de ser feita é verificar a concentração em uma determinada instituição. Lembrando que determinados investimentos como CDBs, LCIs e LCAs contam com a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), limitada a R$ 250 mil por CPF em cada instituição financeira, em caso de quebra, isto é, de liquidação ou intervenção pelo Banco Central.

Análise por estratégia de investimentos:

Cada investidor tem sua tática de alocação de investimentos para atingir suas metas. O smartAdvisor permite a visualização da carteira por estratégia, mas de forma customizada, por exemplo, dividindo os ativos conforme necessidades de curto prazo ou emergenciais, projetos de médio e de longo prazo. Podem ser feitas diversas categorias, segundo projetos específicos como investimentos para uma viagem ou um curso, para a abertura de um novo negócio ou aposentadoria. No sistema, dá para fazer análises por liquidez, facilidade dos ativos serem transformados em dinheiro – imediata, até um ano, até dois anos, até cinco anos etc, e também por níveis de risco ou volatilidade dos ativos.

A divisão também pode ser feita por classes de ativos ou grupos de aplicações com características semelhantes – renda fixa, renda variável, moedas estrangeiras, derivativos etc.

Com isso, fica mais fácil investidores e profissionais de investimentos saberem se a estratégias de diversificação das carteiras estão eficientes e rentáveis e se seguem alinhadas com os objetivos e perfis de risco (conservador, moderado ou agressivo).

Análise por ativo:

Com o smartAdvisor, dá para acompanhar o ganho financeiro e a rentabilidade de cada ativo. Além disso, cada produto pode ser comparado com indexadores de mercado mais adequados como CDI, IPCA e Ibovespa, entre outros.

As vantagens desse tipo de controle é checar possíveis redundâncias e ver a contribuição de cada aplicação no desempenho total da carteira.

New call-to-action

Comparador e simulador

E existem funcionalidades e benefícios adicionais. O smartAdvisor conta com um banco de dados com todos os ativos financeiros disponíveis no mercado brasileiro. Assim, é possível comparar os desempenhos das aplicações ou simular o impacto de substituições ou de introdução de novos ativos na carteira. No sistema, é possível testar várias estratégias antes de escolher a mais interessante.

Gostou? Entre em contato com a SmartBrain!