Fundos de Investimentos

Importância da análise qualitativa dos fundos

Antes de investir em um fundo, é preciso estudar o histórico de rentabilidade e volatilidade mas é importante também fazer a análise qualitativa da gestão.


Ao investir em um fundo, a primeira coisa que faz é analisar o seu histórico de desempenho, isto é, qual foi sua rentabilidade e a volatilidade das cotas. Normalmente, essa análise é feita em determinado período que pode ser um mês, um ano, dois anos ou em uma janela maior de tempo.

A análise quantitativa pode contar com métricas como o Índice de Sharpe, que mostra quanto de retorno um fundo entrega acima do ativo livre de risco em determinado período, entre outras medidas.

Nesta análise, o que você busca saber é se o fundo que tem gestão passiva está sendo aderente ao seu benchmark ou ao indicador de referência. Já no caso de um fundo de gestão ativa, você verifica se ele tem superado seu benchmark de maneira consistente.

Por quê fazer uma análise qualitativa?

Os dados da análise quantitativa são muito importantes, pois representam a performance do fundo e demonstram a consistência de resultados do gestor ao longo do tempo. Mas todos os informativos sobre fundos de investimentos trazem o aviso ou o tradicional disclaimer: “A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de retorno futuro”.

Então, para você ter uma visão mais abrangente e uma decisão de investimento mais assertiva, precisará fazer a análise qualitativa dos fundos e, neste caso, o suporte de um assessor de investimentos é de extrema importância.

Esse profissional especializado é capaz de avaliar a gestão e os documentos legais e essenciais dos produtos, além de manter um contato próximo com os gestores e suas equipes.

Características da análise qualitativa

Na análise qualitativa, o assessor apura a filosofia e o processo de investimentos dos fundos. Em pesquisas com os gestores, ele têm acesso aos detalhes das estratégias de cada um dos fundos - quais os ativos usados para atingir os objetivos e os métodos de análise empregados.

Esse estudo é essencial porque, inúmeros fundos disponíveis no mercado podem apresentar rentabilidades parecidas, mas com estratégias e riscos bastante diferentes, mesmo sendo da mesma modalidade. Por exemplo, um fundo multimercado que conta com elevada concentração de títulos públicos e um outro que tem elevada participação em títulos privados e até mesmo em derivativos ou ações de empresas. Portanto, a análise qualitativa torna mais claros os riscos envolvidos.

Em relação ao processo de investimentos, o assessor vai descobrir para você de que forma atuam os comitês de decisão e quais as regras de risco e de liquidez, além de avaliar os documentos legais dos fundos como o regulamento, o manual de compliance, o formulário de referência e a política de compra e venda de ativos, entre outros.

O acompanhamento dessas aplicações é um fator importante, mas que poucas pessoas se atentam em fazer. Ainda em uma abordagem qualitativa, deve-se analisar as lâminas de rentabilidade dos fundos, as cartas de gestão e participar de teleconferências programadas periodicamente pelas as equipes de gestão. 

Portanto, para tomar melhores decisões sobre fundos de investimentos, é fundamental fazer tanto a análise quantitativa quanto a qualitativa.

Similar posts

Assine nossa newsletter com conteúdo exclusivo.